Muitas vezes, você se cansa do ritmo frenético do mundo?

Sente que as coisas acontecem tão rápido que você não tem tempo para responder às tantas situações e acaba reagindo de uma maneira da qual se arrepende depois?

Por outro lado, só de pensar nos tantos textos e imagens sobre meditação, mindfulness, olhar para dentro, momento de pausa, já quase tem um novo colapso imaginando a si mesmo nessas atividades, quase morrendo de tédio?

Você talvez ouça tantas pessoas falando sobre o contato com o guia interior e imagina que isso seja algo a ser experimentado apenas por aqueles mais evoluídos espiritualmente, ou se for sincero, você talvez duvide que algo assim seja possível e até mesmo olhe com certo receio as pessoas que dizem se conectar com o seu guia?

Uma coisa é certa, o ritmo acelerado, os constantes pensamentos, a pressão, a correria, o estresse se acumulam e, invariavelmente, em um momento você chega a um limite, em que diz para si mesmo que não aguenta mais, que deve haver uma outra maneira.

Você também poderia estar pensando: se eu já não dou conta do que tenho para fazer, imagina se eu tiver que parar todos os dias para acessar o meu guia interior? Isso é coisa para os desocupados!

No entanto, acredito que o Espírito, ou o seu guia, ou a mente superior, o Eu Maior, o Eu Sou vem encontrá-lo onde você acredita estar. O que quero dizer com isso é que você certamente pode encontrar a sua própria maneira de acessar o seu guia interior e isso não necessariamente e, na verdade é até melhor que não seja, depende de um ritual para que aconteça. Você não precisa estar em uma posição específica, acender um incenso, ficar em silêncio durante determinado tempo para se conectar com o seu guia.

A ideia é passar o dia inteiro, até mesmo enquanto realizamos atividades, em um constante estado meditativo. E como isso pode ser feito?

Você pode estar constantemente consciente de todos os pensamentos que surgem e que lhe mostram que você tornou prioridade algo além de sua paz. Quando você consegue flagrar seus pensamentos e observá-los sem julgar, abre um espaço para que outra força se manifeste.

E a sua maneira de se conectar ao seu guia não precisa ser exatamente igual à do guru XYZ. Pode ser uma intuição que lhe diz para não fazer certa coisa, uma lembrança de alguém que pode lhe ajudar, um momento em que você olha para um desconhecido e tem vontade de sorrir, podem ser lágrimas que correm em seu rosto por conta de um sentimento de gratidão que lhe invade sem explicação. Você pode, de repente, olhar para a lua em determinada noite como se fosse a primeira vez que você notasse que ela está lá, ou ter uma conversa com o seu cônjuge em que você parece sentir que ele não é apenas essa imagem que você mantém dele.

Gostaria de colocar para você a meditação do jogo Miracle Choice:

“Eu escolho dar a mão ao meu guia interior e me juntar ao Amor.

Com a ajuda do meu guia interior, estou pronto para olhar de qualquer pensamento não amoroso e experimentar a verdade sobre mim mesmo.

Eu me permito celebrar a escolha de milagres.

Eu me permito vivenciar o poder de escolha.”

O que eu sinto todas as vezes em que começo uma sessão do jogo Miracle Choice e leio essa meditação é que não importa muito se eu acredito ou não nessas palavras. Tudo o que é necessário para que o seu guia interior se manifeste é que você se abra à possibilidade de que isso pode acontecer a qualquer momento. E o Amor, ou Deus, o Espírito fará aquilo que é a única coisa que sabe fazer: preencher com amor um espaço que esvaziamos de nossos pensamentos de medo.

Juliana Kurokawa – Treinadora e Facilitadora Certificada Miracle Choice

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *