Quando me deparo com algo único e diferente, eu realmente paro e aceito, mas nem sempre apreciei a individuação.

Em uma recente viagem de férias em família para o Brasil, estávamos hospedados em uma casa no litoral da Bahia, cercados por uma floresta tropical atlântica, e tivemos o prazer de ver preguiças em seu ambiente natural. Foi fascinante aprender como as preguiças são diferentes de outros mamíferos:

– Elas passam tanto tempo penduradas de cabeça para baixo nas árvores, que seus pelos crescem em uma direção diferente de todos os outros mamíferos: na direção contrária às suas extremidades e não em direção a elas. Isso fornece proteção contra os elementos.
– As preguiças têm muito pouca massa muscular em comparação com outros mamíferos e, assim, podem pendurar-se em galhos finos.
– Elas têm duas vértebras extra cervicais, para que possam girar a cabeça em 270 graus.
– As preguiças só se movem quando necessário e, mesmo assim, muito lentamente. Elas não conseguem ficar de pé nem andar.

Eu também aprecio as diferenças nas pessoas. O estranho homem velho é fascinante. O jovem que tem a coragem de se destacar do grupo com plena confiança é revigorante.

Muitos de nós, conforme crescíamos, decidimos deixar nossa singularidade para trás e nos adequar a ideais valorizados pela família, pela escola e pela sociedade. Aprender qual é a “norma” talvez seja uma fase necessária, mas, em algum momento, abraçar o nosso eu singular torna-se importante para que possamos expressar plenamente o amor neste mundo.

“O fato de que todos vós tentais aprender as mesmas coisas e, ao identificar o mundo da mesma maneira – a maneira que vos foi ensinada –, pensais que tivestes êxito em aprender, é a causa da insanidade do mundo e de tua raiva pela maneira como as coisas são no mundo.
(…) Estás aqui, agora, não para reaprender ou para que te seja ensinado de que consiste a vida, não para reaprender ou para que te seja ensinado “como as coisas são”, mas para descobrir de que consiste a vida e para descobrir como refazer as coisas tal como elas são.”

Um Curso de Amor D:Dia4.9-10

Por James Kelly, Equipe Miracle Choice
Tradução: Juliana Kurokawa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *