“E disse-lhes: não vos pertence saber os tempos ou as estações que o pai estabelece pelo seu próprio poder.” (Atos 1:7)

Esta foi a citação que deu origem à palestra que assisti no último domingo. Enquanto o palestrante desenvolvia o tema, eu ia acompanhando a frase escrita na lousa. Quando a palestra terminou, um sentimento me dominou. Fiquei pensando sobre a questão principal: Será que você é capaz de simplesmente confiar?

Por muito tempo fui instruída a acreditar em um pai, um Deus que a tudo via e que a tudo julgava. Escutei por muitos anos que, ao morrer, seria levada a um lugar onde eu veria o filme da minha vida e que, nos episódios em que não obedeci a este pai, eu seria julgada e condenada. A minha reação ao crescer e entender por mim mesma que não há evidências da existência deste tal pai julgador (porque ninguém voltou para contar como foi seu julgamento) foi de negar tudo isso e de desacreditar. Passei a buscar uma outra forma de acreditar e um outro modelo de pai.

Foram muitas as busca e, nas buscas, encontrei momentos em que tive que fazer escolhas. Várias delas fiz sem perceber que estava simplesmente confiando, confiando no poder que eu tinha de escolher, ou naquilo que eu acreditava fazer sentido para mim. Hoje eu posso dizer que creio. Creio em uma força maior, em algo que não se explica, em algo que pode receber o nome que eu quiser, mas sobretudo eu creio na máxima do Orai&Vigiai, na existência de um kairós e no poder das minhas escolhas.

A cada nova oportunidade que a vida me oferece, aplico o lema do Orai&Vigiai. Afinal, para entender que um desafio pode ser uma oportunidade de aprendizado, é preciso orar para que eu não me perca em meus pensamentos advindos das crenças que por muito tempo cultivei, e é preciso estar vigilante para não me deixar levar pelo que os outros falam, mas a todo momento o que mais conversa comigo é a questão das escolhas.

Um dia vivendo um destes desafios, me vi questionando o fato, a situação e tudo que estava contido no cenário; e nesses momentos algo em mim me lembra que posso escolher e reescolher sempre. Este é o propósito maior do Miracle Choice na minha vida, trazer a consciência para o fato de que sempre é possível escolher. Mas, para escolher, é preciso antes confiar. E então volto à questão da palestra: Será que você é capaz de simplesmente confiar? Para viver a real escolha pelo amor é preciso não ter que saber sobre os tempos ou as estações, é preciso confiar porque qualquer outra escolha onde haja a necessidade de controle é uma escolha pelo medo, o medo é insegurança, a insegurança é falta de amor próprio e quem não tem amor próprio não confia. E aí, será que você é capaz de simplesmente confiar?

CLAUDIA BARROS – Facilitadora Certificada Miracle Choice

VÍDEO – Até onde você confia?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *