Quem nunca sentiu raiva na vida?
E quantas vezes tentamos engoli-la ou, em vez disso, jogamos ela para fora de maneira agressiva, verbalmente ou fisicamente?
Dessa maneira, estamos nos identificando com ela, dando força a ela (mesmo quando tentamos ignora-la), e permitindo que essa emoção seja a dona da situação.
Bem, esta semana descobri, ao ler um texto que faz parte de uma campanha na Grã-Bretanha para reduzir a violência, que aparentemente leva 90 segundos para a raiva passar.

O que isso significa?
Que ela não precisa ser algo incontrolável, perigoso ou destrutivo e que você pode estar no controle.
Você respira e espera.
Sente a onda de adrenalina passar sem ter que reagir.
Dá um tempo para você mesmo e, se necessário, sai de campo.
Você sabe que o que está acontecendo é passageiro e não vai durar o dia inteiro ou a vida toda.
Logo você volta a pensar normalmente, a partir de quem você é e não de um impulso.
Não foi o fim do mundo, foi apenas uma emoção forte que veio e se foi em 90 segundos.
Assim é com todos os sentimentos “negativos” ou indesejáveis, que você julga e tenta evitar.
Não exatamente os 90 segundos como no caso da raiva, mas o tempo que precisam para passar.
Seja tristeza, frustração, decepção ou o que for.
Tudo vem e vai.
São só sentimentos, não exatamente quem você é ou a sua realidade para sempre.
Receba, deixe entrar, respire, grite e chore se preciso, transforme e deixe que se vá.
Ah! Voltando para a raiva, 90 segundos é em média o tempo que se leva para ler este texto.
Viu como passa rápido?

Cátia Vasconcelos – Master trainer e coidealizadora do Jogo Miracle Choice

VÍDEO: 90 segundos de raiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *