Algo estava me incomodando muito nas últimas semanas.
O assunto em questão era a minha filha de 16 anos e sua vida social.
Eu achei que ela estava querendo voltar muito tarde para casa nas noites em que saía com os amigos, que alguns deles talvez não fossem a melhor influência para ela e que, às vezes, ela não me contava a história toda sobre seus planos.

Bem, com tudo isso na cabeça, não é à toa que eu estava incomodada!
E foi interessante como esse incômodo cresceu em alguns dias e tomou uma forma tão real em mim.

Fiquei mal-humorada, senti meu corpo rígido e comecei a achar, de um modo geral, que nada estava bom.

Uau! Hora de parar e repensar!
Quero continuar me sentindo assim?
Esse é o tipo de relação que quero nutrir com a minha filha e com as pessoas?
Não.

Resolvi procurar ajuda me recordando do processo maravilhoso da Byron Katie chamado The Work (O Trabalho).
Me dei conta de como estava acreditando em todos os meus julgamentos negativos sobre a minha filha e a situação.
Me lembrei de como é fácil cair na armadilha da mente e, da mesma forma, como é simples sair dela quando temos a disposição para investigar o turbilhão de pensamentos que está acontecendo lá dentro.
Sem a pretensão de mudar, mas apenas olhar com amor e humor para o drama que criamos.
O drama que, na verdade, são apenas pensamentos e nada mais.
Inofensivos, ingênuos, bobinhos. Ou não, dependendo da força que damos a eles.
Investigue.

Cátia Vasconcelos – master trainer e co-idealizadora do Jogo Miracle Choice

———

Um pouco sobre O Trabalho de Byron Katie

Diante de um pensamento ou algo em que acreditamos e que nos incomoda, Byron Katie sugere que façamos as seguintes perguntas básicas seguidas de uma inversão*:

Isso é verdade? (Sim ou Não. Se Não, vá para a pergunta 3)
Você pode saber com absoluta certeza que isso é verdade? (Sim ou Não)
Como você reage, ou o que acontece, quando você acredita neste pensamento?
Quem você seria sem este pensamento?

*Depois de investigar a sua declaração com as quatro perguntas, você está pronto(a) para fazer a inversão do conceito que está questionando. Cada inversão é uma oportunidade de experienciar o oposto da sua declaração original e ver o que você e a pessoa que você está julgando têm em comum.

Saiba mais sobre O Trabalho de Byron Katie aqui: http://thework.com/sites/thework/portugues/otrabalho.asp

VÍDEO: Olhe para o seu incômodo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *