Às vezes, você não consegue deixar de se sentir atacado. Faz parte de viver como ser humano neste mundo. Sua resposta ao ataque, seja gentil ou defensiva, depende de quem você acredita ser.

Durante nossas recentes férias em família, passamos uma semana em uma pequena ilha no oeste da Escócia. Tivemos tempo para jogar um jogo de tabuleiro chamado Catan todos os dias. No jogo, quando um jogador tira 7 nos dados, deve roubar ou “atacar“ outro jogador. Esse ataque é uma forma de atrasar o jogador que está à frente e de pegar uma carta dele. Essa dinâmica de jogo costumava causar algum desconforto para a pessoa atacada e, às vezes, desconforto para o jogador que deveria atacar. Em várias partidas, os números tirados nos dados trouxerammuitas oportunidades de ataque, que causaram alguns sentimentos fortes.

Em um momento, disse a todos, incluindo a mim mesmo: “Seria menos estressante se não levássemos os ataques para o lado pessoal – são apenas parte do jogo.” Não sei se esse comentário ajudou, mas à medida que jogamos mais partidas do jogo durante a semana, os momentos de ataque foram levados menos a sério por todos.

Não estou sugerindo que você simplesmente se acostume a ser atacado (verbalmente ou não) ou aceite ser atacado sem responder.

Estou sugerindo que você poderá ter uma experiência diferente, se não estiver totalmente identificado com o papel de vítima.

Se você conseguir compreender que a sua identidade real não pode ser atacada, você então poderá responder de um estado novo de leveza e centramento.

O estado do seu Verdadeiro Ser.

Milagres sempre,

James Kelly
Jogo Miracle Choice

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *