Todos nós desejamos amor, sem exceção.
É da natureza inata do ser humano querer e fazer o bem.
Porém, como expressamos isso varia muito.
E, consequentemente, como vivenciamos amor nas nossas vidas, também.

Então, por que simplesmente não decidimos todos juntos que isso é uma verdade e paramos de sofrer?
Porque não é bem assim.
Amar requer vontade, decisão, escolha, disponibilidade.
Sim, tudo isso e um pouco mais.
Não que seja algo difícil, trabalhoso, que precisamos aprender, mas é necessário primeiro tomarmos consciência de que o amor não está fora de nós, de que ele não precisa ser conquistado ou resgatado, ou de que não dependemos de algo externo para senti-lo. Nós somos puro amor, mas às vezes não deixamos essa energia maravilhosa fluir.
Insano, eu sei.

Acredito que muitas vezes o fator limitante de se experienciar amor é a grandiosidade da ideia. O amor é tantas vezes descrito e visto de maneira tão incrível, imenso, esplendoroso, que pode ficar difícil saber como colocá-lo em prática. Mais ou menos como um adolescente apaixonado que não tem coragem nem de olhar para a menina de seus sonhos, muito menos falar com ela. A ideia de estar na companhia dessa pessoa idolatrada é simplesmente maravilhosa e, talvez, boa demais para acontecer. Ele não sabe nem por onde começar a fazer qualquer tipo de contato e, mesmo sem tentar, acaba desistindo, triste e desiludido. Porém, na verdade, existia a chance de ser uma linda troca de amor.

Se esse é o caso, proponho começar com “míni doses de amor”. Sim, míni, mas igualmente potentes, sinceras e curadoras. Pequenos gestos como uma palavra acolhedora, um carinho fora de hora, uma presença silenciosa ou um simples favor podem ser uma grande expressão de amor e um grande presente para aqueles à sua volta. E, para os buscadores sem fim, compartilhar ensinamentos inspiradores também é uma forma de oferecer amor e criar ou fortificar laços com as pessoas.

Mas, quer saber mesmo qual eu acho que é a maneira mais linda de partilharmos amor? Quando não estamos nem conscientes de que estamos fazendo isso. É um amor tão puro e sem nenhum tipo de apego à resultados que flui naturalmente em nossas atitudes. Proporcionamos cura sem nem sabermos que isso está acontecendo. Simplesmente acontece e o mundo agradece. Amém!

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *