A vida num mundo físico envolve mudança.
É difícil compreender a ideia de mudança ou criação numa realidade atemporal e não física e, por isso, não tentarei fazer isso com este texto.
No entanto, podemos experimentar a mudança neste mundo ao mesmo tempo em que temos uma consciência interior intuitiva ou profunda daquilo que é atemporal e imutável. Essa consciência é uma sensação de saber que vai além do sentimento e do pensamento.

“…ver o imutável no coração da mudança, a luz da verdade por trás das aparências” – UCEM (L-pI.122.13.4)

Neste exato momento, minha família está lidando com uma mudança do lugar onde vivemos. Eu, Cátia, Yana e Yuri vivemos fisicamente no mesmo local (Forres, Escócia) há mais de 10 anos. Cátia e eu somos do tipo aventureiro e isso é tempo demais para nós! Há um ano, pensamos em voltar para o Brasil, onde o Yuri nasceu. Mas como o Yuri e a Yana são agora adolescentes, elas querem permanecer com seus amigos e estar inseridos em uma cultura e educação que lhes seja familiar. Neste ano, Yana e Yuri se mudarão para uma escola ou faculdade diferente. Isto trouxe à tona a ideia de que, no final de agosto de 2019, a família – ou alguns membros da família –  poderiam se mudar para Edimburgo, que fica pouco mais de 3 horas de viagem ao sul de onde vivemos.

“A mudança é sempre amedrontadora para os separados, pois não podem concebê-la como um movimento em direção a curar a separação. Eles sempre a percebem como um movimento rumo à maior separação, pois a separação foi a sua primeira experiência de mudança.” – UCEM (T-4.I.2.2-3)

Um Curso em Milagres nos diz (“os separados”) que nossa primeira experiência de mudança foi a separação, e que esta era amedrontadora. Desde então, não lidamos muito bem com a mudança! Isso soa verdadeiro para muitos ou todos nós. Experimentamos o medo de viver em um mundo incerto. Mas a separação (ou mudança) necessariamente deve ser amedrontadora? A mudança é intrinsecamente difícil e estressante ou apenas aparenta ser assim para os “separados”?

“Ter escolhido expressar o Ser em forma física foi uma escolha consistente com as leis do amor. Não havia necessidade de que o Ser fosse separado para que isso fosse assim, mas era necessário que o Ser tivesse uma forma observável e existisse em relacionamento com outros que tivessem formas observáveis. Isso era simplesmente assim para que expressões de amor pudessem ser criadas e observadas no reino físico.” – UCEM (T3:17.1 )

A chave, como de costume, é o relacionamento.
Se você puder, de alguma forma, encontrar uma maneira de viver com a mudança e estar ciente de que seu coração gentil se comunica com sua mente benevolente, então tudo muda. Sofrimento e medo não estão presentes num universo benevolente e gentil.

Por James Kelly, criador do jogo Miracle Choice
Tradução: Juliana Kurokawa
Miracle Choice Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *