Quando alguém está emocionalmente ferido, às vezes a empatia é a única solução.
Você já tentou colocar seu ponto de vista a alguém que está ferido e não consegue ouvi-lo? Você se sente cada vez mais frustrado e irritado. Isso acontece especialmente quando você está com raiva do comportamento dessa pessoa e acredita que é você, não a outra pessoa, quem precisa de empatia. Nessa situação, você e a outra pessoa estão precisando de empatia.

Mesmo que você não esteja com raiva e esteja simplesmente tentando mostrar que a outra pessoa está levando as coisas para o lado pessoal, levando as coisas muito a sério ou precisa apenas ver as coisas de maneira diferente, você está desperdiçando seu tempo se a pessoa estiver ferida. Ela está sendo crítica consigo mesma e, naquele momento, não está aberta para que seus erros sejam apontados. Quando a pessoa está sendo insensata e julga a si mesma, ela não consegue ouvir você. Em uma situação como essa, você precisa oferecer empatia, e é mais fácil fazer isso se você não estiver emocionalmente envolvido na situação.

No último mês, estive envolvido em duas situações em que a empatia foi realmente útil. Na primeira situação, eu não me envolvi no tumulto emocional e, por isso, foi fácil ver o que era necessário a partir de um lugar neutro. Na segunda situação, eu estava com raiva e querendo ser ouvido e compreendido, mas a outra pessoa levou meus comentários para o lado pessoal. Ela não conseguia ouvir meu ponto de vista
nem se desculpar, porque estava muito ferida por dentro. Nós dois precisávamos de empatia, e foi apenas no dia seguinte que consegui ouvir a dor da outra pessoa. Foi somente depois que ela experimentou a empatia que naturalmente aconteceu uma conexão que permitiu que o amor retornasse ao nosso relacionamento.

Então qual é a empatia “mágica” que você vai oferecer?
“Coitado de você” ou “Eu sei como você se sente” não será suficiente.
A melhor maneira que encontrei nos últimos 21 anos para oferecer empatia é a maneira descrita pela Comunicação Não Violenta (CNV). O foco é conectar os sentimentos de uma pessoa a uma necessidade que ela tenha no momento e continuar repetindo esse processo até que algo mude. Obviamente, a empatia é mais do que simplesmente um processo ou uma sequência de perguntas, requer uma conexão profunda. Algumas questões que conectam os sentimentos à necessidades são:

Você está com tanta dor que quer apenas que seus sentimentos sejam ouvidos e compreendidos?
Você está triste porque não se sente respeitado?
Você está com raiva porque acha que a situação é injusta e precisa ser considerada pelo seu ponto de vista?
Você está frustrado porque quer ser reconhecido e aceito?

É um presente aceitar totalmente a dor do outro sem julgamento.
No fundo, a pessoa sabe que está julgando a si mesma e, por isso, não quer ser rotulada equivocadamente por outra pessoa.

Ela quer que sua experiência seja reconhecida, mesmo que seja resultado de um autoataque.
Ela não quer uma aula sobre comunicação.
Ela não está pronta para que lhe seja apontado que está escolhendo o medo e não o amor.
Ela precisa de empatia.

Por James Kelly – criador do jogo Miracle Choice

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *