Acredito que o maior desafio que temos são as relações, as interações, a convivência com as outras pessoas.

Temos características individuais muito diferentes uns dos outros. A imagem que me vem é de ilhas. Como se estivéssemos na forma de arquipélago, aguardando aquele momento em que descobriremos, finalmente, que somos um só continente. Somos todos filhos da Luz, compostos pelo mesmo Amor.

No entanto, enquanto acreditarmos ser ilhas, nos comportaremos como tal. E como ilha, acreditamos ser um ecossistema independente das outras ilhas, sem nos dar conta de que estamos nos relacionando mesmo quando não queremos nos relacionar. Existe um mistério que nos une e isso é inegável.

Quando vamos nos encontrar com as pessoas, tentamos dar uma aparência bonita para a ilha que acreditamos ser. Nos certificamos de que tudo está limpo e arrumado e queremos ser a ilha mais vistosa do arquipélago.

Mas, nesse afã de causar uma boa impressão, nos esquecemos do principal: a ilha vizinha não tem o mesmo olhar que o nosso. Por isso, muito provavelmente a imagem que estamos tentando criar não será percebida pelo outro. E, por outro lado, quando vemos alguma ilha vizinha, logo trazemos nossas preconcepções a respeito dela. “Lá vem aquela ilha que sempre age assim e assim.” “Ah, se ela falar de novo que… vou responder…” E, assim, perdemos uma oportunidade preciosa de testemunhar e participar de um verdadeiro encontro.

É necessário limpar o nosso banco de dados de possibilidades para os tantos encontros com que nos deparamos. Imagine encontrar as pessoas a partir de um lugar de curiosidade, com uma postura de “não conheço nem mesmo a minha própria ilha, imagina a dos outros!”

Desse lugar de curiosidade, cuja mensagem implícita é a de que “eu não sei de que forma você pode me ensinar sobre o Amor”, nos abrimos à infinita possiblidade de um verdadeiro encontro.

Precisamos não arrumar a nossa ilha, mas olhar para os pensamentos por trás dela, pois eles são a sua força motriz. É imperativo nos lembrarmos de nosso Propósito, que é desaprender tudo aquilo que acreditamos saber para que o novo tenha uma porta de entrada aberta com acesso ao nosso coração.

O Amor bate repetidamente à sua porta e agora você está pronto para dar uma outra resposta. Uma resposta livre de medo, que mudará tudo o que você conhece como mundo.

Lembre-se de que todos nós queremos nos conectar, nos sentir amados. Podemos, e garanto que também queremos ser, esse lembrete do Céu na Terra.

JULIANA KUROKAWA – Treinadora e Facilitadora Certificada Miracle Choice

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *