Ano novo, vida nova!

Será?

Por onde você começa?

Honrando o ano que passou, revendo seus sonhos e intenções, fazendo novas resoluções, decidindo seus objetivos e enchendo seu calendário de 2017 com ações e estrelinhas?

Bom, foi isso que eu fiz e até aí tudo bem.

São tantas coisas boas e lindas para se inspirar, planejar, colocar em ação e alcançar que só podem justificar tanto brainstorming, rituais, meditações, visualizações e quem sabe até pular as sete ondas!

Só que, logo nos primeiros dias de janeiro, comecei a questionar a minha empolgação e as minhas “metas”. Nada de errado com elas, mas percebi que eu estava levando todo o meu planejamento um pouco a sério demais.

Metas são apenas metas (nada mais do que uma frase que você escolhe como seu objetivo) e não há nada de errado com elas. Elas ganham peso com a projeção que se coloca nelas, o compromisso de ter que alcançá-las e a frustação de não se estar chegando nem perto. Já sentiu isso antes?

Que tal olhá-las como um norte, uma direção que você quer seguir, sem a rigidez de um resultado definido que você decidiu ser o melhor para você, mas com a leveza de acreditar que a manifestação será o resultado da sua jornada, de quão presente e alinhado você está todos os dias e momentos da sua vida? Afinal, onde fica o espaço para possibilidades infinitas, milagres e o inesperado?

Sabe por que? Acho que às vezes limitamos nosso próprio potencial ou merecimento com a nossa visão limitada de ser humano. O que sabemos, de verdade, de TUDO que somos capazes e que pode acontecer de maravilhoso nas nossas vidas?

Espere o melhor, o maior, o mais incrível na forma e na hora que tiver que acontecer.

E tem mais: dê uma olhada nos seus hábitos diários e veja se eles alimentam o caminho para o que você deseja na sua vida. Pois só ter um objetivo e tomar certas ações não é o suficiente se seus hábitos não estiverem alinhados com eles. No que você pensa e coloca sua atenção logo que acorda? Sobre o que e com quem você conversa? Qual é a sua atitute em relação ao mundo, às pessoas à sua volta e a você mesmo?

Quanto a mim, lembrei que o meu desejo maior é ser feliz, estar em paz, sentir alegria, leveza e me divertir fazendo o que faço. Resolvi então dar uma garimpada nos meus projetos e priorizar apenas alguns, aqueles que fazem meu coração sorrir, e não os que eu coloquei na lista por achar que devia ou fazia sentido. Acredito que esse é um bom começo para este ano. O que vier depois é lucro.

Cátia Vasconcelos – Master Trainer Miracle Choice

PS 1 – Estamos resenhando o formato do nosso informativo semanal e este é uma primeira prova. Adoraríamos saber a sua opinião. Deixe um comentário aqui ou na nossa página do Facebook. Obrigada!

PS 2 – Só para lembrar que tem desconto de 10% até esta sexta-feira, 13/01, para a Introdução à Prática de Facilitação que acontece dia 28. Aproveite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *