Você já sorriu hoje?
por Débora Corrêa



Parece inevitável que sejamos sempre acometidos por sentimentos que julgamos ruins, como dor, angústia, tristeza. Tais sentimentos são decorrentes de uma identificação com nosso eu menor, que parece formar a base de nossos pensamentos. Vemos os sentimentos como a causa, mas, na verdade, eles são consequências de pensamentos e crenças que escolhemos.

Ainda que estamos buscando nos recordar cada vez mais da nossa verdadeira Identidade, é normal que esses sentimentos nos invadam no dia a dia, uma vez que nosso personagem está inserido nesse mundo confuso e insano. No entanto, podemos ajudar nosso próprio processo de liberação desses sentimentos, se formos gentis conosco ao invés de nos julgarmos ou reagirmos a eles. Sendo assim, a maneira como respondemos a esses sentimentos pode nos ajudar em sua transformação, e, ao contrário do que possamos pensar, isso pode ser muito simples.

A primeira coisa é estarmos no momento presente. Isso pode apenas significar que estamos conscientes do que estamos sentindo, do nosso estado atual, sem que precisemos fazer nada em relação a isso. Se você pudesse tirar um retrato fotográfico de você mesmo em todos os níveis, o que essa foto iria dizer? Como você está se sentindo agora? Se sente dor ou desconforto, em qual parte do corpo ela está? Como estão seus ombros, relaxados ou tensos? Sua expressão facial diz que você está preocupado ou feliz?

A partir de então passamos a ficar íntimos de nós mesmos, passamos a conhecer os sentimentos presentes. E o interessante é que tais sentimentos estão apenas nos mostrando em qual estado encontra-se nossa mente. E isso é muito valioso! Ao atentarmos aos pensamentos que nos causam desconforto, podemos olhar para dentro e trabalhar a favor da sua liberação, uma vez que estejamos dispostos a nos lembrar do nosso Ser, cuja herança é a alegria, paz e amor. Nesse sentido, nosso corpo e nossos sentimentos são nossos aliados e passamos a ser muito gratos por eles nos mostrar o estado atual da nossa mente.

Qualquer tipo de desconforto nos sinaliza que escolhemos nos esquecer da nossa verdadeira Identidade. E que presente poder ter um sinal da nossa desconexão, pois, a partir de então, podemos escolher se queremos continuar acreditando que algo externo causa o que estamos sentindo, ou se gostaríamos, com disponibilidade e sinceridade, de nos lembrar de que somos unificados e perfeitos. Apenas esse simples desejo sincero abre espaço para que nosso Guia Interno possa nos ajudar. A escolha pela desconexão é feita no momento presente, e não tem justificativa em nada mais além da nossa escolha. Mas tudo bem, sempre podemos escolher de novo.

Hoje eu estava fazendo esse exercício e o que veio à mente foi a pergunta: “Você já sorriu hoje?”. Então me lembrei de rir, e senti uma alegria que vinha de um lugar que só conhecia o amor. Durante o dia, podemos ter muitos momentos de desconexão, e o treino é olhar para isso sem culpa e julgamento, apenas pelo que é. Assim, voltamos a energia antes usada para justificar o desconforto para nos reconectarmos, para agradecer seu aparecimento nos lembrando de forma tão clara da nossa identificação, de uma crença equivocada, a qual nos deixa sozinhos e desamparados. Mas isso não precisa ser assim.

E você, já sorriu hoje? 🙂

DÉBORA CORRÊA – Facilitadora Certificada Miracle Choice

2 respostas

  1. Sim…. Hoje eu sorri muito!!!!
    Mesmo diante de situações que no passado me causaram um sentimento ruim, Vitória!!!
    Gratidão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *